Gaby, 39, has worked at the Vila Mimosa for 12 years. She turned to prostitution after her husband's death, to support her family, August 1, 2015.  Alex Ribeiro / The Stand

Open Secret: Rio’s Brothels

Vila Mimosa - Rio de Janeiro

Alex Ribeiro

Rio de Janeiro, Brazil

Vila Mimosa is a social and commercial construct, a grouping of establishments located in the same space and connected by prostitution activity.

The area, Rio’s oldest and largest red-light district, looks like a shopping mall. While prostitution is legal in Brazil, operating a brothel is not, so all the business – bars, pool halls, laundry facilities – are all fronts for sex work.

Q&A with Alex Ribeiro

Respostas em Português abaixo

What drew you to this story?
I’m trying to produce a documentary called “Survive” that tells the story of people living in the extreme. So the idea of ​​showing how these girls survive caught my attention.

These women seem to live in very depressing conditions, is it like that everywhere else in that area, or are their circumstances particularly poor?
These are particular circumstances, some of these girls do live in depressing conditions, but others live reasonably well, with a house, a car, etc.

When they allowed you to photograph them and spend time with them, what were their expectations of the pictures?
Most of the time the perspective was to make good photos, but the problem was having the time and space where I could shoot. Time is money for them, and it is not anywhere that can I point the lens. So there were rules, and these rules I had to obey severely. A lot of the time I left home imagining the possibility of making a good picture, but then ran up against these problems.

What were your expectations when you started taking these pictures?
The initial idea, which came to me two years ago, was to do only one test, then came the idea of ​​the documentary. I knew I would not find it easy to shoot there, and there are still many barriers to be broken.

What struck me is that a number of these women are completely naked, this is the norm in Brazil for prostitutes, or just in this area? 
Really, until very recently women would walk naked in the street, but this method was repressed by the neighborhood association of Vila Mimosa. There are families living in a building that was raided. Now in Vila Mimosa nudity is only allowed in the inner area of ​​the bars. I do not know if elsewhere in Brazil they walk around naked on the street.

Are these women subjected to violence? What can they do to protect themselves? 
Within the Vila Mimosa, protection is given by armed guards, who are aware if someone uses force or violence against some of these girls. If that happens (the perpetrators) have an unpleasant surprise. The rate of violence there is almost zero.

You mentioned in one of your original captions that what shocked you was the woman using cocaine on top of a garbage bin. Why did that scene especially shock you?
Yeah, I never witnessed so close a person snorting cocaine, and moreover, on a trash can. This girl is one of those living in depressing conditions in Vila Mimosa. Whenever I came across her she was smoking, drinking and wearing the same clothes. When I met her, I realized she was very agitated and suspicious of everything, until I gained her trust and respect. One day, I saw that she’d just met a client, and he was very anxious. He realized she had cocaine and asked, “Will you snort it?” She said, yes, so I thought it would be a good shot, and I asked to photograph her, thinking she would say no! While I was photographing, I thought, “How can a human reach that level of survival?” So I asked if I could shoot it from the front. She did not care.

Do you know what they are paid?
The price of the program, which is the term that we use here in Brazil for a Call Girl (Garota de Programa), varies. There are girls who charge 60 real for 30 minutes (about US$17), others a little more, others a little less.

Is this dangerous work for you?
Yes, there is an underworld there, and I’m afraid to photograph things they do not want and create a big problem. If they knew I photographed a girl snorting cocaine, I do not know what would become of me. My patience is greater than the danger.


Q&A com Alex Ribeiro

Você parece ter passado muito tempo nesta área, o que está empurrando você para cobrir suas vidas? Quais são os seus planos para continuar com esta história?
Estou nesse projeto a uns 9 meses, estou tentando produzir um documentário que se chama “SOBREVIVER”, contar a vida de pessoas que vivem ao extremo. Então, a idéia de mostrar a forma de sobrevivência dessas meninas, me chamou muito atenção.

Essas mulheres parecem viver em condições muito deprimentes, é como que em qualquer outro lugar em que área, ou são as suas circunstâncias particularmente pobre?
São circunstâncias particulares, algumas dessas meninas vivem realmente em condições deprimente, mas outras vivem rasoavelmente bem, com casa, carro etc…

Quando eles lhe permitiu fotografá-los e passar tempo com eles, quais eram as suas expectativas das fotos?
Na maioria das vezes a pespectiva era de fazer boas fotos, mas o problema se esbarrava no tempo, e no espaço em que eu podia fotografar, tempo para elas é dinheiro, e não é em qualquer lugar que pode apontar a lente para  fotografa-las, há regras, e essas regras eu tinha que obedecer severamente. Muita das vezes eu saia de casa imaginando a possibilidade de fazer uma foto boa, mas esbarrava nesses problemas.

Quais eram suas expectativas quando você começou a tirar fotos aqui?
A idéia inicial surgiu a dois anos, em fazer apenas um ensaio, então apareceu a idéia do documentário, e aproveitei o assunto para introduzir no documentário “sobreviver”, eu já sabia que não iria encontrar facilidade de fotografar lá, digo que ainda há muitas barreiras para ser quebradas.

O que me impressionou é que um número dessas mulheres estão completamente nu, é esta a norma no Brasil para as prostitutas, ou apenas nessa área?
Realmente nessa área até alguns dias atráz, poderia circular melheres nuas no meio da rua, mas esse método foi reprimido pela a sossiação da Vila Mimosa o motivo é por conta de famílias que moram em um prédio que foi invadido que fica no meio da Vila Mimosa, só é permitido a nudez na área interna dos bares. Não sei se em outros lugares no Brasil, elas se exibem dessa forma no meio da rua.

Será que essas mulheres vítimas de violência e que eles podem fazer para se proteger? 
Dentro da Vila Mimosa, a proteção é dada por seguranças armados, que ficam atentos, em lugares diferentes, se por acaso alguém usar da força ou violência em algumas dessas garotas, com certeza vão ter uma surpresa desagradável. O índice de violência lá é quaze zero. Agora fora dalí, a coisa já muda, poucas se arriscam a fazer programa.

Você mencionou em uma de suas legendas originais que o que chocou você era a mulher usando cocaína em cima de uma lata de lixo. Por que aquela cena especialmente chocá-lo?
Sim, eu nunca presenciei de tão perto uma pessoa cheirando cocaína, e ainda por cima, em uma lixeira. Essa garota é uma das que vivem em condições deprimente na Vila Mimosa, sempre que eu à via, ela estava fumando, bebendo e com a mesma roupa. Ela trabalha e vive por lá.
Quando eu a conheci, percebi que era muito agitada, desconfiada de tudo, até que ganhei a confiança dela e o respeito. Um dia, vi que ela tinha acabado de atender um cliente, e el estava muito ansiosa, então percebi que ela estava com uma capsula de cocaína na mão, e perguntei: “Você vai cheirar isso?” Ela respondeu: Sim, então pensei que seria uma boa foto, e eu pedi para fotografar pensando que ela fosse dizer não! Mas ao contrário doque eu imaginava, ela disse sim, então fui em um lugar onde ela consumia a droga, ela tinha duas capsulas, a primeira ela cheirou de costas, ao mesmo tempo em que eu fotografava, eu também pensava, “Como pode um ser humano chegar a esse nível de sobrevivência?” Então pedi se podia fotografa-la de frente, ela não se importou.

Você sabe o que eles são pagos?
O preço do programa, (programa é o termo que citamos aqui no Brasil, “Garota de Programa”), O preço varía, tem garotas que cobram 60 Reais por 30 minutos (15 Dollar), outras um pouco mais, outras um pouco menos.

É este trabalho perigoso para você?
Sim, há um submundo lá dentro, não conheço todos, tenho medo de fotografar coisas que eles não querem, e criar um grande problema, se alguém descobre que eu fotografei uma garota cheirando cocaína, não sei o que seria de mim. A minha paciência é maior que o perigo.

Q&A conducted: August 2015
Photography from: June 2015 – Ongoing